terça-feira, 18 de setembro de 2007

Querido diário,

Preciso tirar uma foto 3x4, que no fim das contas vai ficar uma merda mesmo, como a de todo mundo. Meu sonho é ter uma linda foto 3x4. Mas não… sou feia e mesmo assim, a mais bela das mulheres ficaria terrível. Odeio essas fotos 3x4. Se eu me posicionasse do jeito que eu quisesse talvez ficaria melhor, mas eu não sei que mania é essa desse povo quer dar palpites, se você é torto, você é torto e pronto. Ajeitar e tudo, uma m*rda. Assim como eu sei que garçons gostam de se meter na vida dos outros, não são todos… Só aqueles mais intrometidos. Fofoca é até três pessoas, passou disso já é intriga.

Hmmm… hmmmm… hmmmm… na quarta-feira passada conheci uma Raquel no ônibus. Ouvi “Raquel” em um fio de voz e a garota ao meu lado respondeu. Aí eu, com as mãos suando e gaguejando (sim, a minha aversão a puxar assuntos é tão grande que isso acontece)
— Seu nome é Raquel?
— Como sabe?
— Não adivinhei. Eu ouvi em um fio de voz! A propósito, muito prazer, meu nome é Raquel. (e estendi a mão com um sorriso em stand by)
— Nunca aconteceu isso comigo, será que “Raquel” é igual a “Maria”?
— Acho que não. Maria é comum demais, é tipo Luísa, aliás, olha lá! Ah não... tá escrito “Luzia”.
— Sou disléxica, li Luzia também.

E falamos sobre quantas Raquéis existiriam no Rio de Janeiro, história, geografia, cultura inútil e como História do Brasil é uma coisa chata. Aí a mãe dela apareceu do nada (?) e disse “Vamos?!” e aí ela foi. E é uma pena. Porque ela é muito legal e pela primeira vez fiquei triste por conhecer alguém aleatóriamente e saber que nunca mais vou esbarrar com ela por aí. Mas também…

2 comentários:

Gabriel disse...

Casos de Família é sensacional! E Usurpadora, ah, a Karine adora!
Você não está só.

Anônimo disse...

Ae gatinha, gostei de ti, se quiser um homem só pra ti, me proucura, beijos.