sábado, 15 de novembro de 2014

O Do Cabelo de Anjo

Quando eu conheci o Douglas, sei lá, em algum Reveillon que eu fui parar em Ipanema, ele utilizava a cabeça raspada  acho que um corte militar, se não me engano. E foi assim por anos e ele era apenas o Douglas, amigo meu de noitadas, de se escorar um no outro de tão bêbados, gente finíssima uma figura. Um dia, seu cabelo estava um pouco maior que o normal e eu pensei que era aquele período em que a gente está começando a se sentir mal com a própria imagem antes de decidir cortar o cabelo novamente. Eu, pelo menos, sou assim. Mas eu estava enganada, o cabelo foi crescendo, crescendo e crescendo e deu lugar a cachos e assim ficou. Um dia, calhamos de trabalhar a duas ruas de distância e, por acaso, ele foi ao lugar que eu trabalhava e o apresentei a minha chefe.
Um dia, minha chefe chegou e disse "vi o seu amigo!" e eu "que amigo?" e ela "o do..." e fez um gesto de espiral com as mãos e aí entendi que era uma referência ao seu cabelo de anjo. Esses dias alguém foi se referir a ele e disse "Douglas? Que Douglas? O do cabelo de anjo?"?
Tudo isso pra chegar a uma conclusão: engraçado como do nada certas características se tornam referência da pessoa. Espero que a minha seja "que Raquel? Aquela do sorriso mais lindo do mundo?" ou "que Raquel? Aquele espírito evoluído?" mas eu acho que não, infelizmente.

Nenhum comentário: