terça-feira, 31 de julho de 2007

Volta

Não é bem uma volta… agora tenho mais tempo para escrever bobagens cotidianas. Ainda bem que acabou o Pan. Ver Plantão Globo - Pan era muito chato. Domingo passou um filme super ótimo "O Clube dos Suicidas" e eu estou muito… lenta, ultimamente, talvez eu esteja mais distraída com nada que o normal. Uma porcaria! Meus vizinhos agora me vigiam (pra variar) porque algum outro vizinho (ou vizinha) coloca lixo na porta deles, lixo nojento mesmo. Tais como: preservativos e coisas podres. Só que o problema é que... bom, é assim. Tem o meu apartamento. Ao lado (direito) é o apartamento deles, em frente está desocupado e na frente do apartamento deles é uma outra vizinha gente finíssima. Não tem mais apartamentos no corredor, então quem é a pervertida que fez isso? Eu! Sim, quer dizer, não, mas é que tudo recai sobre mim, mas que gente mais esquisita e problemática! Maldita mania de querer ficar culpando, julgando… eu culpo e julgo quem eu quiser, que fique claro. Mas eu não admito isso! Oras pois… que raiva. Eu não trepo, ok, vizinhos? A minha cama é utilizada apenas para um sono puro e casto. Lógico que eu não posso dizer isso com todas as letras. Enfim, agora é um Big Brother. Aê, Bial!

Já passei por poucas e boas nessa vida… me fodi muito! Já fui atropelada por um Chevette; já casei com uma puta; fui revendedora Avon; já perdi um rim; fui acessora do Collor. Mas isso não importa agora… Minha mãe era uma quenga e o meu pai era um caloteiro que se fingia de morto na porta do shopping… Sofri para caralho e é isso o que importa.

sexta-feira, 20 de julho de 2007

Post 50!

Vocês devem ter notado meu sumiço. Vou explicar: estou viciada em Neopets.
:(

segunda-feira, 16 de julho de 2007

Japoneses

Eu não gosto de comida japonesa e todos me recriminam por isso! Eu (acho) consigo colocar quase qualquer coisa abaixo da goela, menos comida japonesa. Deve haver algo de errado em uma culinária onde os peixes vem crus e os guardanapos cozidos. Odeio peixe, aliás. Quando eu tinha 4 anos a minha mamãe me obrigava a comer peixe. Odeio peixe.
Piadinha de humor negro: japoneses são todos iguais (fisicamente), será que confundem o noivo com o garçom em casamentos? (péssima)

O Japão e seus derivados são esquisitos. Sabe, crianças japonesas conseguem se divertir educadamente e de forma organizada, e pessoas japonesas são intelectualmente superiores a qualquer ser humano da terra, oras, todas aquelas tecnologias desnecessárias não são desenvolvidas por americanos, alemães, nem outros… são desenvolvidas por gente do Japão!
Eu tenho um amigo, o Cuenca, ele mora em Tóquio e ele diz que normalmente as pessoas pagam acompanhantes (é, vocês me entenderam) mais para conversar do que para fazer nheco-nheco (estou cheia dos eufemismos hoje).

Engraçado isso. Tosco.

segunda-feira, 9 de julho de 2007

Curso de inglês:

Sempre rola uns diálogos profundos.

— Shut up, Raquel.
— Why?
— Because yes.
— Why?
— Because yes. Shut up.
— Oh, this is sad. You broke my heart!
— Oh yeah, yeah… I'm so sorry.
— Yesterday I cough a lot of, like a smoker! Cofcofcof…

Caso seu inglês seja tão ruim quanto o meu, vá no Google e traduza porque eu estou com preguiça de traduzir esse diálogo tão poético. Não há palavras que soem como estas.

quarta-feira, 4 de julho de 2007

(Introvertion, iNtuition, Feeling, Perception)

INFP: (Introvertion, iNtuition, Feeling, Perception)

criativo, inteligente, idealista
solitário, atraído por coisas tristes, desorganizado
pode ser oprimido por sentimentos desagradáveis
inclinado à desistência, inclinado a sentimentos de solidão
ambivalente das regras
sonha acordado com as pessoas para manter um sentimento de proximidade
foca-se em fantasias, age sem planejar
baixa auto-confiança, temperamental
pode se sentir defeituoso, tende a se atrasar
sente vergonha, freqüentemente perdendo coisas
inclinado à tristeza, tende a sonhar com um "salvador"
observador, facilmente distraído
não gosta de multidões, pode agir sem pensar, privado
pode sentir-se desconfortável ao redor de outras pessoas
familiar com o lado negro, hermitão, tende à auto-sabotagem
gosta da chuva
às vezes não pode controlar pensamentos medonhos
tende a chorar, tende a se arrepender
atraído pela contra-cultura
pode ser submisso, pode se sentir desecorajado
pode se sentir vítima, tende à confusão
tende à irresponsabilidade, pode ser pessimista

carreiras favorecidas: pintor, poeta, artista freelancer, músico, escritor, terapeuta, songwriter, historiador da arte, bibliotecário, compositor, escritor de peças, vendedor de livros, cartunista, editor de vídeo, fotógrafo, filósofo, designer, diretor de cinema, ambientalista, ativista.

carreiras desfavorecidas: executivo, administrador, profissional de negócios, empresário, supervisor, analista financeiro, secretário, relações públicas, juiz, promotor de eventos, advogado, escritórios.

Ok, confesso que tudo bate, nada é mentira e eu realmente sou assim. Carreiras favorecidas: coisas que não dão dinheiro. Mas é verdade, são profissões tão bonitas e tão bonitas!
Carreiras desfavorecidas: coisas que dão dinheiro. Mas sim, eu jamais seria uma juíza, advogada ou empresária, por exemplo. E todas essas características resumem o que eu sou. É isso. Raquel, INFP. Mas, me olhando tão “nua” e crua assim eu me sinto uma merda!

http://wiki.inspiira.org/view/Persona/TesteSimplificado

segunda-feira, 2 de julho de 2007

Conto bafão por testemunhal


Juliana: Raquel, não aceita esse depoimento!!!
Cara, estou muito preocupada… Mês passado eu esqueci de tomar a pílula por dois dias, minha menstruação atrasou 2 semanas e assim como mandava a bula, fui no ginecologista.
Ele mandou eu fazer vários exames, antes de vir tabalhar passei no consultório dele: ESTOU GRÁVIDA.
Puta que pariu... o que eu faço?!
1) Meu namorado já está sabendo e disse que vai me apoiar...
2) Minha mãe ainda nem sonha, mas já sei que ela deve me expulsar...
Tem condição de eu ficar uns meses na sua casa?


E eu aceitei! Mas, calma, é falso, tá? Ela não tá grávida e eu não vou abrigá-la uns meses na minha casa.

domingo, 1 de julho de 2007

Recado no orkut:

— Coé, Raquel, tá lembrada de mim? Hehe, eu te conheci há quatro meses atrás na Lapa, tá lembrada?

Penso: o que eu digo? Esse cara deve estar me zoando, eu sempre lembro de todas as pessoas, eu nunca esqueço de ninguém! Bom, vou jogar verde:

— Tô sim, cê deixou o cabelo crescer, né? Beijo, vê se aparece!
— Cê não tá lembrada de mim mesmo, né? Beleza, sou o João, pô… Pára de caô, aê.
— Não estou mais de caô, não sei quem é você e pára de me cantar!