segunda-feira, 18 de julho de 2011

Então, é mentira o que dizem? Que se você realmente deseja alguma coisa ela vai acontecer? Me recuso a acreditar que sou especial o suficiente para ser a exceção.

domingo, 10 de julho de 2011

Eu sei que eu tenho uma tendência compulsiva por repetição, situações, assuntos, palavras, gestos, como se eu fosse, muito francamente, aquela mulher que encontra sempre o mesmo cara grosseiro e escroto e não larga nunca. Se larga, encontra um exemplar essencialmente parecido. Sabe que tem coisas que surgem como se fosse um aviso? E aí você ignora, você tem um tesão louco pelo desconhecido, pra saber se era um aviso mesmo ou uma daquelas barreiras que existem antes do prazer a ser descoberto, isso soou meio erótico, mas tudo bem, adoro erotismo.
Sabe que o Bradesco agora tem aquelas porra de leitor de mão e eu uso, porque está em todos os lugares, em todos os caixas disponíveis depois de uma longa fila e eu sempre esqueço de tirar o relógio no pulso direito, atrapalha e eu fiquei no mínimo cinco segundos pra lembrar qual era o pulso esquerdo e o direito, sabe que, algumas vezes, eu me sinto uma criança, que não sabe diferenciar esquerda e direita, que sempre se suja quando vai comer, cujos olhos marejam quando alguém grita, que sempre cai... sabe que hoje eu ralei o cotovelo? O que eu queria dizer mesmo? Daí que tem esse leitor moderno ultrasuperavançado e ontem eu fui no banco. E o caixa que eu peguei, incrivelmente, não tinha o leitor, que substitui a senha de duas letras, sabe como é? E eu não lembro mais que porra de senha é essa e eu não quero lembrar, porque vai que eu usei uma lógica meio doentia e eu ando esquecendo tudo, perdendo tudo. Hoje eu esqueci a senha do meu email e aí tinha lá... responder a pergunta de segurança, coisas que só eu sei. E eu fiquei com um medo, não era bem medo, às vezes, eu me sinto uma criança que não sabe nomear os próprios sentimentos, que bobo isso. Mas não era bem medo, era como se fosse um receio, que pergunta eu tinha escolhido, receio de saber, receio de não saber, receio da resposta. Vai ver não era nada dolorido, mas vai que eu usei a lógica Abra Los Ojos/Vanilla Sky, quando a etapa pro David acordar do sonho é justamente enfrentar o seu maior medo? No final das contas não era nada demais, era algo referente a meus amigos de infância.
Hoje aliás eu encontrei um amigo meu, que me apresentou a três amigos seus, sabe que foi tão bonitinho vê-lo falando "essa aqui é a Raquel, a garota que colocou os meus pés no chão e sempre me diz a verdade olhando nos olhos, tão sinceramente que me fez jogar um par de calças fora!".