sábado, 12 de maio de 2012

Lucas

Frustração mata a gente aos poucos, a gente tem que fazer o que faz bem, tem que colocar tudo pra fora que aí sara.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Segunda-feira foi o primeiro dia continuamente frio do ano, seguido por terça e quarta. Isso significa uma coisa: hora de amar de novo.
A minha rotina de apaixonamentos contínuos continua ativa, se alguém ainda se pergunta sobre isso, já que eu vendi minha alma ao capitalismo, a vidinha de todo dia, mas há uma certa poesia.
Eu ando distraída, pensando em coisa de gente grande, mesmo com aquela leve tendência a escolher errado, acho que esse é o meu charme. Esse domingo eu vou fazer a prova para a Petrobras! Só o que faltava, Raquel virando um verme do serviço público, mas o meu ascendente é Touro, minha lua é Touro, preciso de um pouco de estabilidade, mesmo que o meu Gêmeos tenha flerte com o caótico, com a bagunça. Gêmeos é a dualidade, né? O mar sereno e a tempestade. Pelo menos é um salário digno, numa empresa legal. Me matriculei num cursinho visto que os meus conhecimentos matemáticos são um tanto defasados, sempre preferi perder o tempo com outras coisas, suspirando em cima de pessoas, histórias, teorias. Essas estatísticas pulando aqui na minha cara, tantas visualizações por post tá me deixando, sei lá... eu fico curiosa, se eu pudesse um minutinho ser o olho que tudo vê e visse os rostinhos, hora e local, reações... ou uma abelhinha, sei lá.
Daí que na minha sala tem, tinha... umas cem pessoas. E tem a ruiva, a Ana, ela trabalha na UFRJ, algumas vezes ela senta do meu lado e é super simpática e tem esse amigo dela, ele é meio calvo, mas é um ser sorridente também, ela tirou umas cópias da aula de português que eu faltei, um doce. As fileiras são divididas de cinco em cinco e em alguma aula de matemática, falávamos de probabilidade e eu adoro probabilidades, tenho mó tesão no que pode ou não ser. Ela virou pra mim e disse "eu também sou canhota!" e o carinha também. E o cara do lado dele. E a outra do lado dele. Éramos, então, uma fileira de cinco pessoas, canhotas, lado a lado, ao acaso, ele me perguntou "qual é a probabilidade disso?", meio sorrindo, pergunta retórica.
Na semana seguinte, eu sentei em todos os cantos para fazer um levantamento do número de canhotos em relação a pessoas destras (6/100) e, enfim, calculei a probabilidade daquilo acontecer. Não que eu lembre do resultado, só queria registrar esse fato.
Que bizarro o novo layout do Blogger. Odeio atualizações, odeio modernizações, prefiro tudo do jeito antigo. Mais bizarro ainda são essas estatísticas pulando na minha cara da visualizações, que vão desde "navegador" a países no qual essa merdinha foi acessada, hahaha.