quarta-feira, 27 de março de 2013

Na Buenos Aires com a Avenida Passos

– Raquel, tá vendo aquele cara ali? Cruzo com ele desde antes de a sua irmã mais velha nascer. Eu morava na Ilha do Governador e sempre o via por lá, comecei a trabalhar naquela livraria aqui perto e o vi também... quando a gente se mudou pra Glória, ele também tava lá, mas que coisa! São mais de 30 anos de encontros e desencontros e o mais estranho é que a gente nunca se falou, mas ele me reconheceu. Já conheceu alguém assim?
 – (Pior que já. A primeira vez foi na palestra do no CCBB, você sentou na minha frente, levemente a direita, seu cabelo era tão cool que era impossível não reparar. A segunda num bar no Flamengo, você tomava açaí. Odeio açaí. A terceira foi em uma livraria na qual você trabalhava. E a quarta fio esses dias, no Carnaval, você andando pela Lapa vestida de Arlequina...)

No provador

–  Mariana, acho que vou levar essa blusa... ela é bonita, que você acha? Gostei que ela deixa as costas nuas, acho que vou usar um sutiã tomara-que-caia.
–  Tomara-que-caia? Mãe, por favor, não!
Ai, Mariana, que que tem? Você acha que eu malho na academia pesado pra conseguir esse corpinho e não exibir?
Mãe, você tá me ligando?
–  Claro que não, né, Mariana... tô aperreada com essa blusa aqui, você acha que eu vou te ligar? 
Alô? Marcos? Mãe, liga pro Marcos e pergunta o que ele quer que eu tô no provador e tá sem sinal!
–  Mariana, quer saber? Eu vou usar essa blusa sem sutiã mesmo!

quarta-feira, 13 de março de 2013